20/04/2021 às 08h44min - Atualizada em 20/04/2021 às 08h44min

Abril Marrom alerta sobre prevenção à cegueira

Avanços tecnológicos facilitam diagnósticos e trazem melhores resultados e qualidade de vida aos pacientes

Redação Agora Joinville
Abril Marrom é o mês dedicado à campanha de saúde sobre prevenção da cegueira. De acordo com o Conselho Brasileiro de Oftalmologia, há mais de 1,2 milhão de cegos no Brasil. No entanto, a Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que cerca de 80% dos casos de cegueira são evitáveis e/ou tratáveis, ou seja, mais de 950 mil brasileiros que perderam a visão poderiam estar enxergando, se tivessem recebido tratamento apropriado e em tempo adequado. 

"A prevenção não pode parar nem em tempo de pandemia. Procure o oftalmologista para um check-up e prevenção das principais causas de cegueira no mundo: catarata, glaucoma e a degeneração macular relacionada à idade (DMRI)", alerta o médico Aderval Junhiti, oftalmologista da Clínica Visão Joinville.

O médico também alerta para outras questões trazidas pelo novo coronavírus que merecem atenção. Desde o início da pandemia, a Academia Americana de Oftalmologia vem divulgando diversas pesquisas relacionados à disseminação do vírus e às suas repercussões sistêmicas e oculares. Recentemente apresentou uma série de casos de perda de visão em paciente com COVID-19 decorrente de oclusão vascular da retina. 

"Pesquisadores lutam para entender e combater as consequências causadas pela COVID-19. Apesar de não ser claro o que o vírus causa nos pacientes recuperados, já está comprovado que essa doença pode originar danos cardiometabólicos, como diabetes e hipertensão podendo gerar de leves a graves implicações indiretas, retinopatia diabética, catarata e retinopatia hipertensiva entre elas", comenta o oftalmologista. "Ainda não há pesquisas sistemáticas de longa data com resultados robustos sobre o assunto por ser uma doença recém diagnosticada, mas recomendamos fortemente que pessoas que tiveram COVID-19 façam acompanhamento regular com o oftalmologista para detecção de possíveis sequelas", afirma.

Principal causa – A OMS estima que a catarata é responsável por 47,8% dos casos de cegueira no mundo, sendo a principal causa de cegueira adquirida em todo o mundo. A doença provoca a perda progressiva, porém reversível, da visão, podendo ser imperceptível pelo paciente nos estágios iniciais. A cirurgia da catarata consiste na remoção do cristalino opaco e sua substituição por uma lente intraocular artificial transparente.

Paralelamente, a presbiopia, a diminuição progressiva da capacidade de focar nitidamente objetos a curta distância, é um dos principais problemas que podem surgir com o envelhecimento e costuma ocorrer a partir dos 40 anos de idade. "É cada vez mais comum encontrarmos pessoas entre 40 e 50 anos se submetendo a cirurgias de catarata, resolvendo, assim, essas perdas graduais de visão", conta o Dr. Junhiti.

O implante de lentes intraoculares multifocais é uma opção que tem se tornado frequente para aqueles que têm interesse em reduzir a dependência de óculos no pós-operatório da cirurgia de catarata. "Há evidências, inclusive, que as lentes multifocais podem ajudar a diminuir acidentes domésticos e o risco de queda de idosos", explica o oftalmologista.

Avanços tecnológicos, como as Lentes Intraoculares (LIOs) Trifocais, têm demonstrado melhores resultados para esses pacientes tanto refrativos quanto visuais. "As Lentes Intraoculares Bifocais apresentam apenas dois focos principais: longe e perto. No entanto, atualmente, o foco intermediário tem sido cada vez mais exigido, com o uso muitas vezes excessivo de telas, como computadores, smartphones e tablets. Essa necessidade estimulou o desenvolvimento das lentes com três pontos focais", destaca a oftalmologista Anna Paula Albuquerque, do Centro Oftalmológico Jaraguá, em Jaraguá do Sul. 

Outros alertas – Já o glaucoma é a segunda causa de cegueira no mundo (12,3%), superado apenas pela catarata (47,8%), de acordo com a OMS. Há cerca de 900 mil glaucomatosos no Brasil. Contudo, o Ibope Inteligência constatou recentemente que 40% das pessoas desconhecem essas doenças. O glaucoma pode causar cegueira permanente, uma vez que a perda de visão não pode ser recuperada. O tratamento consiste em controlar os sintomas por meio de colírios ou uso de stents medicamentosos inseridos em procedimentos cirúrgicos pouco invasivos. "A detecção precoce de uma doença silenciosa como o glaucoma somente é possível por meio do exame oftalmológico rotineiro, o que torna a prevenção fundamental", alerta a médica.

A degeneração macular relacionada à idade (DMRI), por sua vez, é uma doença crônica progressiva que ocorre na parte central da retina chamada mácula e que leva à perda progressiva da visão central. É a principal causa de perda irreversível da visão entre as pessoas acima de 50 anos. Atualmente, cerca de 30 milhões de pessoas no mundo têm DMRI, de acordo com a OMS. Condições ambientais, alimentação e predisposição genética também são fatores de risco, porém o maior deles é a idade: o problema acomete 10% de pacientes entre 66 a 74 anos e 30% com mais de 75 anos.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você é a favor da criação da região metropolitana de Joinville?

90.7%
6.8%
2.5%
Anuncie no AJ
Atendimento
Quer divulgar sua empresa? fale conosco pelo Whatsapp