Entrevista: Adriano Silva (Novo) fala sobre segundo turno com Darci de Matos (PSD)

Por Beatriz Kina 20/11/2020 - 09:22 hs
Foto: Foto: Divulgação / Assessoria

O candidato Adriano Silva (Novo) disputa o segundo turno com Darci de Matos (PSD), em Joinville. Adriano ficou em segundo lugar com 60.728 votos, 6.110 votos a menos do que Darci. O candidato do Novo concedeu uma entrevista ao Agora Joinville falando sobre as propostas e expectativas para o segundo turno. Confira:

Algumas pesquisas apontavam que Fernando Krelling estaria no segundo turno, foi uma surpresa para você se ver no segundo turno?

As pesquisas de credibilidade mostravam um resultado crescente para a nossa candidatura. No início, tínhamos por volta de 3%, depois chegamos perto de 9%, e na reta final ultrapassamos os 13%.  O crescimento foi constante e convertemos grande parte dos indecisos nos últimos dias. Como vínhamos nessa crescente, acreditávamos chegar ao segundo turno, mas com a expectativa de manter uma proximidade do terceiro colocado. O que surpreendeu foi chegar tão perto do candidato na primeira colocação. Acredito que o joinvilense entendeu as nossas propostas e mostrou que quer a mudança. Uma política nova, sem privilégios e com respeito ao dinheiro público.

O que muda para o segundo turno? 

Estamos seguindo nossa caminhada com a mesma equipe de trabalho e o número de voluntários só vem crescendo. Não faremos coligações e continuaremos nossa campanha com chapa pura. Aliás, o Novo não faz coligações porque é contra o uso do fundo partidário e eleitoral, e como todos os demais partidos utilizam, as coligações não são permitidas. 

Vamos continuar divulgando as nossas propostas e agora teremos tempo igual ao oponente no programa eleitoral, o que dá mais equilíbrio para mostrar nossas boas propostas. Ideias para transformar Joinville em uma cidade mais desenvolvida e que devolve o orgulho para o joinvilense pertencer e viver em Joinville. 

Quais propostas te fazem acreditar que você seria o melhor prefeito para Joinville? 

O nosso plano de governo é resultado de um trabalho de mais de 70 voluntários e começou há mais de um ano. Nós estudamos as necessidades de Joinville e elaboramos propostas possíveis de implantar, muitas delas são exemplos do que já foi feito em outras cidades. Além da nossa dedicação para entender o que precisa ser feito, sabemos como fazer.

Destaco a desburocratização dos processos que será foco dos primeiros seis meses de governo com o objetivo de facilitar a abertura de empresas e a geração de empregos. Vamos estruturar uma fábrica de projetos para buscar recursos dos governos estadual e federal. Vamos cuidar com muita dedicação e carinho da nossa cidade. E faremos um governo participativo com a aproximação de entidades e empresas para que todos possam contribuir com o desenvolvimento de Joinville e a prosperidade de quem vive aqui.

Diferente de Darci, o candidato não tem um histórico de cargos públicos, você acha que isso te diferencia? Por quê?

Eu sou um cidadão indignado com a politicagem, onde se faz conchavos, troca de cargos e de favores. A vontade de fazer uma política voltada para as pessoas, com foco na saúde, educação e segurança, me fez sair da zona de conforto buscar o Partido Novo, em 2017, o primeiro partido que eu me filiei. Antes disso, nem pensava em participar da política. Mas quando percebi que, para esperar resultados diferentes, o cidadão do bem precisa participar da política e se candidatar, assumi para mim essa responsabilidade. 

Eu sou formado em Administração de Empresas, pela Faculdade Mackenzie e sou presidente do Laboratório Catarinense. Lá me aperfeiçoei em liderar pessoas, permitindo que cada líder fosse protagonista das suas responsabilidades para alcançar os melhores resultados junto com o seu time. 

Sou bombeiro voluntário há 17 anos e faço plantões como socorrista nas ambulâncias. Com esse trabalho voluntário conheço a realidade de toda a Joinville, pois estou sempre em todos os bairros, inclusive, entro na casa das pessoas para os atendimentos. Minha dedicação à cidade também me fez liderar as centrais solidárias em Joinville, quando ocorreram grandes enchentes em Santa Catarina, e reuni voluntários para arrecadação de donativos.

Somado a isso, estudei no Renova BR, uma escola que prepara cidadãos comuns para exercerem cargos públicos. Eu me formei na cadeira de prefeito e fui um dos cinco alunos destaque, entre mais de 1.400.

Estou preparado para ser prefeito de Joinville e liderar a mudança que a população tanto quer e precisa.

O que o joinvilense deve esperar para o próximo turno?

Da nossa parte uma política limpa, transparente e sem Fake News. Claro que, diante dos ataques, estamos nos defendendo. 

Continuaremos fazendo nossas visitas a comunidade, explicando o nosso plano de governo e o nosso propósito de mudança. Somente com uma política nova e com atitudes diferentes, alcançaremos resultados diferentes.

O joinvilense tem em suas mãos a oportunidade de construir uma nova história. Temos dois caminhos para a nossa política, o que todos já conhecem ou o novo caminho. E o caminho que eu ofereço vai colocar Joinville em primeiro lugar de novo.