15/06/2022 às 19h06min - Atualizada em 16/06/2022 às 06h20min

5 Mitos e Verdades sobre as podas em plantas

Engenheiro Agrônomo da Forth Jardim dá dicas de como realizar uma boa poda

SALA DA NOTÍCIA Érica Brito Silva
Pasta Selante - Forth Jardim
Nem só de regar, deixar tomar sol e “alimentar” são feitos os cuidados com as plantas. A poda também é uma das práticas das quais os “cultivadores” devem estar atentos. Vale inclusive ressaltar que não se trata apenas de cortar/arrancar aquelas partes que estão aparentemente feias, é preciso ter cuidados também após a poda, para proteger a planta e permitir que ela continue crescendo bonita e saudável. 

O Engenheiro Agrônomo da Forth Jardim, Marcos Feliciano explica como fazer isso de maneira adequada, apontando alguns mitos e verdades sobre essa prática, além de apresentar um novo produto lançado pela marca, que promete facilitar este processo. 

1 - Além das “Árvores” e “Bonsais”, outras espécies também podem ser podadas - VERDADE 
Apesar do hábito da poda ser mais comum entre os bonsaístas ou por aqueles que lidam com árvores, é importante incluir este cuidado também para outras espécies de plantas, mesmo aquelas cultivadas dentro de casa em vasos, como a Rosa do Deserto, Suculentas, Trepadeiras, Buxinhos, entre outras.

2 - As podas só devem ser feitas quando a planta fica doente - MITO
As podas devem ser realizadas nas plantas sempre que necessário, sendo um dos motivos o fato de estar doente. Quando ela é atacada por brocas, cupins e tem um galho seco ou morrendo, por exemplo, é necessário cortar este galho para não passar a doença para os outros. Essa é conhecida como “poda de limpeza” e pode ser realizada o ano inteiro, não apenas durante o outono e o inverno, como muitos acreditam. 
Além disso, há também as podas de “formação” e de “estética”. No caso da poda de formação, são comuns em árvores frutíferas, pois é uma maneira de manter um padrão de altura, facilitando a colheita dos frutos. É também uma forma de deixar a árvore em um formato que permita que o sol entre por todos os lados. Já na estética, um exemplo são as cercas vivas, em que o corte pode servir para “ajeitá-la” e; no caso da rosa do deserto, por exemplo, a poda é uma forma de ajudar a planta a se desenvolver, ou como dizem os cultivadores, a “engalhar” melhor. 

3- Usar uma pasta para selar após a poda pode trazer vários benefícios - VERDADE 
Quando a poda é realizada, a planta fica com um local aberto que facilita a entrada de fungos, pragas e doenças, o que pode inclusive levar à sua morte. Por isso, é muito importante “selar” essa poda usando uma “pasta selante”, que além de proteger, ajuda no processo natural de cicatrização das plantas, criando o ambiente ideal para as células que estão em volta cresçam de forma saudável.
A Pasta Selante é um produto muito conhecido pelos bonsaístas, que por realizarem podas com frequência entendem bem a necessidade de manter a planta protegida após o processo. Mas ainda é um produto que não tem muito no Brasil, boa parte dos “cultivadores” que usam, acabam importando do Japão.  
Com o intuito de atender a demanda do mercado brasileiro, a Forth Jardim lançou a sua própria pasta selante, que para ser desenvolvida contou com o auxílio de especialistas como: o Engenheiro Agrônomo Carlos Tramujas, que contribuiu principalmente com as questões estéticas, fazendo o produto chegar em uma cor que ao passar na planta ficasse discreto, deixando-a mais natural possível. Além disso, foi possível também contar com o apoio do Estúdio Bonsai e a Ideal Bonsai. Vale destacar que além da cor mais discreta, o produto tem uma consistência elástica, o que é importante. Conforme a planta vai crescendo, o sol esquenta ou o clima esfria, a elasticidade se faz necessária. 

4 - Existem outras soluções caseiras tão eficientes quanto a pasta selante - MITO
Algumas “soluções caseiras” podem até contribuir de alguma forma com os cuidados que devem ser realizados após a poda, mas não são 100% eficaz. 
Um dos exemplos muito mencionados pelas pessoas é a canela em pó, que de fato possui um óleo de ação antifúngica, porém, quando em contato com a água, essa “proteção” se perde. Outra dúvida é acrescentar na planta após a poda, vaselina para fixar um pouco mais, porém mesmo assim, não forma uma camada protetora que “fixa” na área podada.
A parafina também é apontada como uma alternativa, mas apesar de conseguir selar o local da poda, com o passar do tempo a planta vai crescendo e vai rachando a parafina, permitindo do mesmo jeito a entrada de fungo e mantendo a umidade naquele local.

5 - A “Calda Bordalesa” é outra opção que pode ser utilizada após a poda - VERDADE
A Calda Bordalesa, ou Sulfato de Cobre, também tem ação fungicida, só que o problema é que se apresenta na cor azul, então ao passar em um galho ele fica azulado, o que acaba prejudicando a planta esteticamente. No caso da pasta selante (desenvolvida pela Forth Jardim) ela possui uma cor em tom “marrom claro”, justamente para ficar discreto.  Por tanto, apesar de ser verdade que a Calda Bordalesa pode ser utilizada após a poda, se levar em consideração a questão estética, a pasta selante ainda é a melhor opção. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Anuncie no AJ
Atendimento
Quer divulgar sua empresa? fale conosco pelo Whatsapp