01/06/2022 às 17h48min - Atualizada em 02/06/2022 às 00h00min

Mastercard investe US$ 24 mi na Picus e vai usar sua tecnologia de simulação de ataques

Potencial da startup em responder a demandas atuais de cibersegurança também gera investimentos no Brasil. A CLM reforça toda a estrutura da Picus, inclusive com a contratação de Robson Franco

SALA DA NOTÍCIA MakingNews
https://clm.com.br/fabricantes/picus/
Divulgação
A Mastercard, um dos líderes mundiais em meios de pagamentos que trata quase 400 milhões de transações por dia, investe na startup Picus Security, pioneira na tecnologia de simulação de violação e ataque (BAS - Breach and Attack Simulation), que cresceu 400% desde 2019, com o apoio de distribuidores, como a brasileira CLM. O valor do aporte Série B é de 24 milhões de dólares e será usado para apoiar o desenvolvimento contínuo de produtos e acelerar a expansão da empresa mundialmente.

Em comunicado da Picus, o presidente de dados e serviços da Mastercard, Raj Seshadri, disse que, atualmente, as organizações não precisam apenas de defesas robustas, elas precisam testar, aprender e se adaptar para permanecerem resilientes no futuro. “Nosso investimento na Picus Security permitirá decisões de segurança cibernética mais rápidas e inteligentes que possibilitarão melhores resultados para nossos clientes, seus funcionários e, em última análise, seus usuários”, acrescenta.

Gabriel Camargo, diretor de produtos da CLM, VAD latino-americano especializado em infraestrutura de data centers, cibersegurança e nuvem que distribui as soluções da Picus no Brasil, afirma que a decisão da Mastercard em usar o BAS mostra a necessidade de as empresas se anteciparem à evolução constante das ameaças e mudar de uma postura reativa para uma proativa. “As normas PCI criadas pela indústria de cartões de crédito têm funcionado bem até agora, reduzindo o número de fraudes e de outras formas de crime, mas os criminosos evoluem e sua capacidade técnica gera outros tipos de ataque”, explica.

CLM fortalece parceria com a Picus e reforça time
A abordagem proativa de simulação para prevenir vulnerabilidades e fraudes em todos os segmentos e especialmente naqueles que lidam com transações financeiras, somada à crescente necessidade de tecnologias proativas de cibersegurança, levou a CLM a reforçar sua estratégia e investir ainda mais nas soluções da Picus. O objetivo é ajudar seus parceiros a responder rapidamente às demandas de segurança da informação de seus clientes. Entre as iniciativas da VAD está a contratação de Robson Franco, responsável pelo sucesso do cliente para soluções Picus da CLM.

Mastercard e Picus vão trabalhar em colaboração  
Além do aporte, que eleva o total dos investimentos na Picus para US$ 33 milhões, a Mastercard vai usar a tecnologia de simulação de ataques da Picus para fortalecer suas ofertas de produtos e serviços. As equipes das empresas vão trabalhar em estreita colaboração para inovar e aprimorar ainda mais as soluções para os clientes da gigante de pagamentos.

“O investimento da Mastercard na Picus é um grande endosso da completude de nossa solução e esperamos trabalhar juntos estrategicamente para compartilhar conhecimento e entregar produtos que atendam de forma abrangente aos desafios atuais de segurança”, comenta o CEO e cofundador da Picus Security, Alper Memis.

A solução Picus
A plataforma Picus Complete Security Control Validation, pioneira em BAS, simula ameaças cibernéticas do mundo real, incluindo ransomware e de APT (advanced persistent threat), o que permite que as empresas avaliem e melhorem continuamente a eficácia de seus controles de segurança e meçam o risco que estão correndo. Para se ter uma ideia, a solução inclui mais de 11 mil ataques e 70 mil mitigações acionáveis, sendo atualizada diariamente para refletir as técnicas e comportamentos dos ataques mais recentes.

O gerente de produtos da CLM e engenheiro, Alisson Santos, explica que, com a pandemia, as empresas brasileiras estão mais alertas com as ameaças e procuram por soluções que tenham referências junto a órgãos renomados como o MITRE ATTACK e NIST. “A Picus atua com base nas normas destas organizações e opera de forma automática, não dependendo de recursos humanos para fazer os testes de simulações de ataques da vida real. Possui ainda parceria tecnológica com os maiores players do mercado de cibersegurança”, conta Santos.

Tanto é que a plataforma Picus agora está integrada ao SentinelOne, solução líder segundo o Gartner, em proteção de endpoint por meio de inteligência artificial, também distribuída pela CLM.

Além disso, a Picus valida os controles nas camadas de prevenção e detecção, incluindo ferramentas NGFW, SIEM e EDR, e fornece conteúdo de mitigação específico e fácil de aplicar que permite que as equipes de segurança resolvam rapidamente a as ameaças e as lacunas de visibilidade.

Purple Academy
Com a necessidade de mudanças na abordagem em cibersegurança, a Picus Security lançou a Purple Academy, que oferece treinamento online gratuito para melhorar o conhecimento dos profissionais sobre os mais recentes métodos de ataque cibernético e estratégias de defesa. Até o momento, mais de 4,5 mil pessoas em 160 países concluíram os cursos.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Anuncie no AJ
Atendimento
Quer divulgar sua empresa? fale conosco pelo Whatsapp