Serviço de Atenção Domiciliar proporciona conforto aos pacientes do Hospital São José de Joinville

Atendimento faz parte do Serviço de Atenção Domiciliar (SAD) da Secretaria de Saúde de Joinville (SS)

Por Redação Agora Joinville 10/06/2019 - 11:05 hs
Foto: Arquivo/ AJ
Serviço de Atenção Domiciliar proporciona conforto aos pacientes do Hospital São José de Joinville
Serviço atende a até 80 pacientes por mês. Foto: Arquivo/AJ

Pacientes de média e alta complexidade, oncológicos terminais, que precisam de medicações parenterais intravenosas ou intramusculares, curativos complexos, suporte de nutrição, fisioterapia de reabilitação ou cuidados paliativos, podem trocar o ambiente hospitalar pelos cuidados em casa, junto à família. 


O atendimento faz parte do Serviço de Atenção Domiciliar (SAD) da Secretaria de Saúde de Joinville (SS), vinculado ao Hospital São José e realizado com recursos do Ministério da Saúde


À frente do trabalho está a Equipe Multiprofissional de Atenção Domiciliar (EMAD) formada por dois médicos, um enfermeiro, cinco técnicos em enfermagem, um agente administrativo, um fisioterapeuta e dois motoristas. O serviço conta, ainda, com o apoio das equipes de serviço social, nutrição e de uma psicóloga, todos pertencentes ao quadro de profissionais do Hospital São José. 


O SAD funciona de segunda a sexta-feira, das 6:30 às 22 horas, e aos sábados, das 6:30 às 18:30 horas. A frequência das consultas domiciliares depende do quadro do paciente e pode chegar a até duas ou três visitas diárias, para casos de administração de antibióticos, por exemplo. 


Além disso, o serviço dispõe de uma linha de comunicação por meio de aplicativo de mensagem que fica permanentemente ativo para contato das famílias em situações emergenciais. 


“As famílias são orientadas a acionar o SAMU, caso aconteça uma situação de urgência ou emergência, onde não saibam como proceder ou se a nossa equipe não tiver disponibilidade de atendimento imediato”, explica a médica do SAD, Samantha Brandes. O atendimento em domicílio inclui medicação, coleta de materiais para exames laboratoriais (sangue, urina, fezes etc), realização de curativos, suporte nutricional, reabilitação com fisioterapia, entre outros. A remoção do paciente para o hospital acontece apenas em casos esporádicos, para a realização de exames ou procedimentos específicos. 


O município dispõe atualmente de uma equipe de SAD e atende a até 80 pacientes por mês.  “O recurso repassado pelo Ministério da Saúde, de R$ 56 mil, serve como um incentivo. Um paciente custa, em média, R$ 1,2 mil por dia dentro do hospital, em casa o custo é muito menor. O município arca com todas as despesas de medicações, carros, material, equipe médica. Nosso desejo é que o Ministério da Saúde amplie o número de equipes para Joinville”, afirma Samantha. 


Além da redução de custos para a rede de saúde pública e da qualificação do atendimento oferecido, outro importante benefício garantido pelo SAD é a humanização do cuidado com o paciente que é acompanhado na segurança do seu domicílio, próximo à família, com vínculo aos profissionais da EMAD e acesso à saúde de qualidade. 


O programa acompanha o paciente desde a transferência da sua internação hospitalar para o atendimento domiciliar, realiza o atendimento em casa durante todo o período de tratamento, faz o vínculo com a família e oferece segurança até o momento do seu retorno para a atenção básica ou, ainda, do óbito domiciliar.