09/11/2021 às 22h30min - Atualizada em 13/01/2022 às 00h01min

Vivência Internacional: Como o intercâmbio potencializou a carreira de grandes executivos

Grandes nomes do mercado, tem em seus currículos a vivência internacional como ponta pé inicial, para dar aquele 'up' na carreira. E, por quê não se inspirar a partir dessas narrativas?

SALA DA NOTÍCIA Janaina Bernardino
Internet (Foto:Reprodução)
 

Sair da zona de conforto é um dos pontos que leva muitos a se arriscarem internacionalmente. Ao trilhar uma trajetória no exterior, o profissional ganha relevância e se diferencia no mercado, já que essa experiência permite ter contato direto com culturas e línguas diferentes, o que aumenta o repertório. Além disso, uma viagem pode não somente auxiliar na construção de um plano de carreira como também é altamente simbólica para aqueles que, de alguma forma, querem fazer a diferença. 

De acordo com Vinicius Nunes, CEO da Universidade do Intercâmbio, edtech especializada em preparar estudantes e profissionais do mercado para encontrarem as melhores oportunidades de intercâmbio no exterior, uma vivência internacional consolida ações e abre portas na carreira. Para o especialista, a reabertura de fronteiras estrangeiras após o período de vacinação contra a Covid-19 levanta a possibilidade dos brasileiros conquistarem seus sonhos fora do país. Países como Estados Unidos, Canadá e Portugal já estão prontos para receber novos programas de intercâmbio, além de reforçar a necessidade de acolher os estrangeiros para movimentar a economia e a cultura local

Sendo assim, uma viagem pode ser o pontapé inicial para novos desafios e dar aquele upgrade na carreira, seja na área acadêmica ou profissional, por sua vasta gama de possibilidades, ampliação de redes de contato, proximidade com outras abordagens de ensino e conexão com outras culturas. Confira o que a experiência de um intercâmbio trouxe para os executivos abaixo

Rachel Maia, CEO da RM Consulting e conselheira administrativa

O inglês que não conseguiu estudar quando era adolescente, e que previa como fundamental para chegar ao topo da pirâmide corporativa, Rachel foi buscar fora. A executiva fez intercâmbio no Canadá para aprender o idioma, um processo primordial para a construção de sua carreira. Quando retornou ao Brasil, conquistou o cargo de gerente financeira na farmacêutica Novartis, onde ficou por quatros anos e saiu como diretora, quando resolveu morar em Miami. A experiência nos EUA rende uma das melhores passagens de seu livro, ‘Meu Caminho Até A Cadeira Número 1

Kwami Alfama, CEO da Tereos Amido & Adoçantes Brasil

Nascido em Cabo Verde, Kwami foi para Portugal aos 15 anos cursar o ensino médio. Ainda adolescente, aprendeu a se virar sozinho e ter responsabilidade em período muito importante para formação da pessoa que é hoje. Após quase 4 anos na cidade de Coimbra, embarcou para o Brasil para estudar Engenharia Mecânica na Universidade Federal de Itajubá, uma pequena cidade no Sul de Minas Gerais. Com passagens por multinacionais, o executivo está hoje à frente da terceira maior empresa de açúcar e etanol do mundo

Lisiane Lemos, especialista em Tecnologia e cofundadora do Conselheira 101

Antes de trabalhar nas gigantes da tecnologia, Lisiane fez trabalho voluntário na África. A advogada morou durante dois anos em Moçambique e o que era uma meta pessoal, contribuiu para que ela se conectasse, ainda mais, com as suas raízes e seu propósito de impactar socialmente pessoas negras. Foi o impulso que faltava para que alçasse voos mais altos. A executiva conseguiu construir uma carreira onde concilia inovação e impacto social dentro e fora das empresas onde trabalha, pautada pelo seu próprio desenvolvimento pessoal e profissional.

Kenya Sade, chefe de Programação do canal Trace Brazuca 

Jornalista e apresentadora do podcast ‘Tô Na Trace’, Kenya fez um intercâmbio pela Irlanda que mudou sua vida e deu origem ao projeto autoral “Pretas Pelo Globo", plataforma colaborativa que celebra e traz visibilidade às conquistas das mulheres negras espalhadas pelo mundo. Entrou em contato com o projeto da Trace em 2019, quando em uma passagem pela França, conheceu o programador da Trace Global e desde janeiro de 2020, se dedica à programação do canal no Brasil.

Ad Junior, head de Marketing da Trace Brasil

O comunicador realizou dois importantes intercâmbios em sua trajetória. Estudou Comunicação no Instituto SAE em Hamburgo, na Alemanha, e Literatura Inglesa, Conversação e Cultura na Universidade da Califórnia Irvine, nos Estados Unidos. Desde 2008, Ad divide a vida entre o Brasil e a Alemanha, onde estudou também alemão e adquiriu fluência no idioma. Além de consultor em diversidade, o executivo é também influenciador digital e youtuber. 


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Em quem você votaria para Governador de SC no segundo turno?

11.5%
88.5%
Anuncie no AJ
Atendimento
Quer divulgar sua empresa? fale conosco pelo Whatsapp