Pesquisa aponta preferência dos catarinenses para o governo do Estado

No cenário estimulado aparece na liderança o nome de Mauro Mariani (MDB), com 20% das intenções de voto

Por Redação AJ 10/09/2018 - 10:04 hs

O projeto Cobertura Eleições SC 2018 - Jornais Impressos e Digitais traz o resultado da pesquisa de opinião pública, com a intenção de votos e a rejeição dos candidatos ao governo do Estado e ao Senado federal em Santa Catarina. O levantamento foi encomendado pelo Grupo RIC/RIC TV e Fecomércio/SC, e tem a parceria da Associação dos Jornais do Interior (Adjori-SC) e da Associação de Diários do Interior (ADI-SC), além de veículos independentes.

O estudo foi realizado pela empresa Real Time Big Data, de São Paulo, instituto contratado pela Record para aplicar pesquisas eleitorais em 17 estados e também para levantar dados nacionais da corrida para a presidência da República. No Sul do país, Santa Catarina é o primeiro estado a ter e divulgar os resultados do levantamento.

Resultados

No cenário estimulado aparece na liderança o nome de Mauro Mariani (MDB), com 20% das intenções de voto. Em seguida está Gelson Merisio (PSD), com 18%. Em terceiro lugar está Décio Lima (PT) com 16%. O cientista político da Real Time Big Data, Bruno Soller, chamou o resultado de empate triplo, apontando como razão disso a semelhança na estrutura e na militância dos três partidos que aparecem nas primeiras posições.


O começo da propaganda eleitoral em rádio e TV parece não ter interferido significativamente no interesse dos eleitores. Quando se trata do cenário espontâneo, expressivos 64% dos eleitores ainda não sabem dizer em quem votariam. Soller destaca que o índice está dentro da média nacional. Para ele, a população brasileira passou do sentimento de desesperança para o de descrédito com a política. Apenas quatro nomes foram citados espontaneamente: Mauro Mariani (MDB), Gelson Merisio (PSD), Décio Lima (PT) e Comandante Moisés (PSL).

Rejeição

Quando questionado em quem não votaria de eito nenhum, 22% dos eleitores apontam o nome de Décio Lima (PT). 

Senado 

Liderando a preferência de votos para o Senado está o atual deputado federal Esperidião Amin (PP), com 31%. Em seguida, o ex-governador Raimundo Colombo (PSD), com 29%. Na terceira posição está Paulo Bauer (PSDB), com 24% das intenções de votos. Amin e Colombo já foram senadores e que Bauer tenta reeleição para o segundo mandato na Casa.



Após uma larga diferença estão Roberto Salum (PMN), com 7%; Ideli Salvatti (PT) e Jorginho Mello (PR), empatados com 6%. Salum foi suplente de deputado estadual, Ideli já foi senadora e ministra nos governos do PT e Mello é deputado federal atualmente.

O terceiro bloco é formado por Lucas Esmeraldino (PSL), com 4%; Professor Antônio e Professor Cabral, ambos do PSOL, estão empatados com Lédio Rosa (PT) e alcançaram somente 3% de intenção de votos. Os demais somaram 3% entre todos os entrevistados.

Neste pleito serão dois votos para o Senado. Para o primeiro, 10% dos eleitores declararam voto nulo/branco. Para o segundo, o índice de branco/nulo ficou em 14%. O número de indecisos é de expressivos 57%.

Características do voto 

O cientista político da Real Time Big Data, Bruno Soller, explica que para a aplicação da pesquisa foram observados fatores como gênero, idade, renda, escolaridade entre outros. O que chama a atenção na pesquisa, diz Soller, é a desconexão das pessoas com o processo eleitoral. "Tão perto de acontecer, mas ao mesmo tempo tão distante da cabeça do eleitor a definição do voto", afirma, destacando que a principal indecisão está presente quando se trata de indicação espontânea.

Outro indicador que chama a atenção, é que o maior grupo de indecisos é de mulheres. Conforme Soller, isso é uma tendência no Brasil. As mulheres demoram mais pra decidir o voto, principalmente por uma razão bem objetiva, diz ele. São elas que mais utilizam os serviços públicos. Elas que normalmente vão ate o posto de saúde, que levam os filhos na creche, e que justamente por precisarem se locomover, usam mais o transporte público. Ou seja, é a maior usuária dos serviços públicos. "As mulheres analisam muito mais em quem vão votar", diz o cientista político.  



Em contrapartida, elas têm maior disposição de exercer o voto. Somente 11% declararam voto branco ou nulo, enquanto 13% dos homens pretendem desperdiçar o voto. Por enquanto, as mulheres também votam preferencialmente em Mariani (19%), Merisio (17%) e Décio (15%), ou seja, mais um empate técnico.

Faixa etária

Analisando os eleitores indecisos por idade, é possível perceber que a maior parte, 39%, tem entre 16 e 24 anos. Segundo Soller, este resultado está bem acima da média brasileira, quase o dobro. Na avaliação dele, isso indica que os candidatos não estão conseguindo dialogar com esse público. "O jovem tem uma linguagem completamente diferente dessa linguagem tradicional", diz.

Regiões

Também foram computadas as intenções de voto em cada mesorregião. Mauro Mariani (MDB) se destaca na região Norte, com 38% das intenções do eleitor. Gelson Merisio (PSD) tem seu eleitorado concentrado no Oeste, onde aparece com 34% de preferência. Décio Lima (PT) tem 17% das intenções e voto no Vale do Itajaí. 



Governo 

A pesquisa também avaliou a aprovação do governo do Estado. Na avaliação de Soller, os dados da pesquisa indicam que há uma certa dificuldade para o eleitor identificar quem é o candidato do governo, considerando a recente mudança no comando do Executivo estadual. "Até outro dia o governador era do PSD e agora é do MDB. Agora, os dois partidos têm candidato ao governo do Estado. Isso gera uma dificuldade pra identificar. Na cabeça do eleitor, o governo ainda é o governo Colombo (PSD). As pessoas não conseguem identificar o atual governador Eduardo Pinho Moreira (MDB). 


Dados da pesquisa 

O estudo foi realizado pela empresa Real Time Big Data, de São Paulo, instituto contratado pela Record para aplicar pesquisas eleitorais em 17 estados e também para levantar dados nacionais na corrida para a presidência da República. No Sul do país, Santa Catarina é o primeiro estado a ter e divulgar os resultados do levantamento.

A pesquisa quantitativa, registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SC) sob o número SC-04745/2018, teve como base 1.110 entrevistas, realizadas nas cinco regiões do estado: Grande Florianópolis, Vale do Itajaí, Norte, Sul e Oeste, nos dias 1, 2 e 3 de setembro. A margem de erro é de 3% e o nível de confiança chega a 95%.

Na edição de amanhã serão divulgados os dados referente à presidência da República. Este trabalho é o primeiro a não apresentar o nome do ex-presidente Lula como candidato.


Cobertura Eleições SC 2018 - Jornais Impressos e Digitais 
Equipe editorial: Andréa Leonora (ADI/SC) 
Douglas Rossi e Murici Balbinot (Adjori/SC) 
Arte: Rogério Moreira (ND)