28/05/2021 às 22h54min - Atualizada em 28/05/2021 às 22h54min

Negociação da Campanha Salarial tem pouquíssimos avanços, diz Sinsej

O sindicato negocia com o prefeito Adriano Silva o reajuste dos servidores

Redação Agora Joinville
Foto: Secom
A negociação da Campanha Salarial terminou com "pouquíssimo avanços", disse o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Joinville e Região (Sinsej). Na manhã dessa quinta-feira (27) o sindicato se reuniu com o prefeito Adriano Silva e com a vice Rejane Gambin para iniciar a negociação dos reajustes salariais. 

Em um comunicado, o Sinsej declarou que, durante a reunião, o prefeito disse que não irá conceder o reajuste para a categoria. Como justificativa, Adriano teria dito que um parecer do Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina sugeriu que o reajuste não seja dado. Apesar disso, em um comunicado, a prefeitura afirmou que continua tentando uma negociação.

“Reforço nossa vontade em conceder a revisão geral dos colaboradores no índice da inflação. Nós estamos buscando um caminho legal para que isso seja possível, como afirmei na reunião que realizamos com o Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina, além de termos protocolado uma consulta formal sobre esta questão”, disse o prefeito. 

“Esta decisão do governo em se apegar a este texto deixa claro que a intenção do prefeito nunca foi de conceder o reajuste. O governo jogou para a torcida, em mais um engodo na tentativa de desmobilizar a categoria que segue firme na luta em defesa da aposentadoria e por valorização”, disse a presidente do Sinsej, Jane Becker.

Em seguida, o prefeito atendeu a solicitação apresentada na pauta do sindicato para postergar de agosto para dezembro deste ano o prazo para que seja feita a reposição de horas não trabalhadas em função de paralisações no ano passado. Com relação aos descontos já efetuados referentes às paralisações deste ano, segundo o sindicato, o prefeito disse se tratar da ideologia de seu governo e que não irá voltar atrás, "mantendo o que ele chamou de ‘coerência'".

“Faremos uma nova rodada de negociação na manhã do dia 8 de junho e esperamos que o prefeito atenda a nossa solicitação de não penalizar ainda mais a categoria que já vem, ao longo dos últimos anos, sofrendo graves perdas salariais, agravadas ainda mais pelo momento de recessão que estamos vivendo no Brasil”, disse ​Becker.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você é a favor da criação da região metropolitana de Joinville?

91.7%
4.2%
4.2%
Anuncie no AJ
Atendimento
Quer divulgar sua empresa? fale conosco pelo Whatsapp