12/06/2023 às 17h59min - Atualizada em 12/06/2023 às 17h55min

Santa Catarina, o baluarte do bolsonarismo

Prisco Paraíso

Prisco Paraíso

Comentarista Político

Contrariando a ideia de que as eleições municipais de 2016 influenciariam as eleições de 2018, presenciamos a ascensão da onda bolsonarista pelo Brasil, culminando na eleição de Jair Bolsonaro. A chama do antiPT, reforçada pela prisão de Lula e a representação na campanha por Fernando Haddad, deu lugar ao surgimento de uma nova onda política, capitaneada pelo então desconhecido Carlos Moisés da Silva, em Santa Catarina.
Em Santa Catarina, a onda bolsonarista logrou uma expressiva vitória, resultando na eleição de Carlos Moisés da Silva para o governo do estado. Apesar de ser um coronel da reserva dos bombeiros pouco conhecido, o apoio de Bolsonaro impulsionou a sua eleição e também de quatro deputados federais e seis estaduais. No entanto, a força bolsonarista não foi suficiente para eleger o senador Lucas Esmeraldino, que perdeu por uma margem estreita de dezoito mil votos. Jorginho Melo e Esperidião Amin conquistaram as vagas para o Senado.
 
As eleições municipais e a derrota de Bolsonaro em 2022
No quadro geral, mesmo com a presença marcante do bolsonarismo, as eleições municipais de 2020 não exerceram influência no resultado das eleições de 2022. Bolsonaro, na disputa com Lula da Silva, acabou derrotado por uma pequena margem, porém manteve-se forte em Santa Catarina.
 
A continuidade do bolsonarismo e os mandatos em 2022
Apesar da derrota de Bolsonaro em 2022, o bolsonarismo se mostrou ainda mais expressivo naquele ano do que em 2018. Mesmo com a queda de cinco a seis pontos na candidatura à presidência, o PL elegeu bancadas mais consistentes. Ainda, Jorge Seif, um secretário da pesca que nunca havia disputado uma eleição, foi eleito senador, um claro sinal da força do bolsonarismo.
 
A estratégia para 2026 e o foco nas prefeituras
Diferente de Carlos Moisés, que não fez campanha para as prefeituras em 2020 por falta de experiência política, Jorginho Melo, atual governador de Santa Catarina, se prepara para eleger uma safra de prefeitos do PL. O objetivo é pavimentar seu projeto de reeleição em 2026, com foco nos grandes e médios municípios.
 
PL, o novo partido de direita fortalecido
O resultado das eleições de 2022 evidenciou o Partido Liberal (PL) como um forte representante da direita brasileira. Ainda, o PSD tenta se fortalecer para estabelecer um contraponto com o PL, enquanto o PT tem dificuldades para eleger prefeitos. Assim, o PL tem grandes perspectivas de eleger prefeitos nos médios e grandes municípios.
 
O eleitorado catarinense e as eleições de 2026
As eleições de 2024 poderão sim exercer influência sobre 2026, uma mudança em relação aos ciclos eleitorais de 2016 e 2020. Embora ainda seja incerto o comportamento do eleitorado em relação ao bolsonarismo em Santa Catarina, se o movimento mantiver um poder de influência de 30%, isso pode ser decisivo para as eleições de 2026.
Link
Leia Também »
Comentários »
Anuncie no AJ
Atendimento
Quer divulgar sua empresa? fale conosco pelo Whatsapp