20/07/2022 às 09h22min - Atualizada em 20/07/2022 às 09h19min

As lições de 22

Prisco Paraíso

Prisco Paraíso

Comentarista Político

As lições de 22

Estamos caminhando mais fortemente na direção das eleições. Conseguimos tirar conclusões importantes neste período de pré-campanha.
Amanhã abre-se a janela das convenções homologatórias. Quando chegarmos ao prazo fatal de 5 de agosto, saberemos quantos candidatos ao governo estarão efetivamente no páreo neste turbulento e nebuloso 2022.
No contexto atual, poderemos ter sete cabeças de chapa postulando o comando do Executivo estadual.
Antídio Lunelli, Moisés da Silva, Gean Loureiro, Jorginho Mello, Esperidião Amin, Odair Tramontin e Ralf Zimmer Junior. Isso na chamada centro-direita.
Na esquerda e na extrema esquerda, que tentam se unir, algo nunca visto antes na história de Santa Catarina, são oito partidos.
Observa-se, contudo, que a cada dia fica mais distante a possibilidade de convergência de todas as siglas. Décio Lima será o cabeça de chapa pelo PT. Ele convidou Gelson Merisio (SDD) para vice. Isso não será empecilho para entendimentos considerando-se que o próprio Merisio já declarou que abre mão da vaga em nome do entendimento da canhotada Barriga-Verde.

Três em um

Ocorre que tanto o PSOL, com Afrânio Boppré, vereador da Capital, como o PDT de Jorge Boeira; e o PSB de Dário Berger pleiteiam a candidatura ao Senado.

Fator Ciro

Os pedetistas para dar palanque a Ciro Gomes já que o partido não estará com Lula da Silva no primeiro turno. O candidato petista à presidência tem o respaldo dos outro sete partidos, exceção feita justamente ao PDT.

Câmara Alta

Além de Jorge Boeira, Dário Berger até abre mão da candidatura ao governo. Está, contudo, na expectativa de buscar a reeleição ao Senado. Lula da Silva e Geraldo Alckmin já sinalizaram nesta direção.

Claro que no final das contas, embora o PDT tenha sido o primeiro a fechar com o PT e com Décio Lima, o frentão deve priorizar o PSB, que indicou o vice de Lula, o neossocialista Alckmin.

Alvo

Ciro Gomes, o presidenciável do PDT, pelo contrário, tem feito ataques duros e certeiros na direção do descondenado petista. A grande realidade é que se o PDT não topar ser vice com Boeira na chapa de Décio, terá que desembarcar do grupo canhoto.

Ao governo

O PDT de Santa Catarina está admitindo a possibilidade de lançar Jorge Boeira ao governo do Estado, oferecendo o palanque a Ciro Gomes na disputa presidencial.

Link
Leia Também »
Comentários »
Anuncie no AJ
Atendimento
Quer divulgar sua empresa? fale conosco pelo Whatsapp