11/01/2022 às 09h20min - Atualizada em 11/01/2022 às 09h14min

A marca de Mauro de Nadal

Quando ficou acertada a sucessão do deputado Julio Garcia no comando da Assembleia Legislativa, o cenário era absolutamente favorável para a ascensão natural do então vice-presidente, Mauro de Nadal. 
O parlamentar poderia insistir para presidir a Casa por dois anos. Como surgiu o nome do experiente Moacir Sopelsa dentro da própria bancada do MDB, Mauro de Nadal, de forma inteligente e republicana, praticou o gesto. 
Também porque Sopelsa informou aos colegas que este seria seu último mandato e que ele gostaria de encerrar a carreira política presidindo o Legislativo. O emedebista está completando seu sexto mandato na Alesc. E vai fechar com chave de ouro a partir, também, do gesto do correligionário. 
Está tudo azeitado. De Nadal vai renunciar no dia 2 de fevereiro e Moacir Sopelsa será eleito presidente, mantendo-se a mesma mesa diretora eleita em fevereiro de 2021.
 
MDB na proa
 
A gestão compartilhada entre dois emedebistas significará um período completo do MDB à frente do Legislativo. Não acontecia desde 1987, quando o ex-deputado Juarez Furtado chegou ao comando da Assembleia. Há 35 anos!
 
Turbulências
 
Depois de Furtado, o MDB emplacou com Aldo Schneider, que acabou vitimado por um câncer no meio do mandato de presidente, além de Romildo Titon, que não completou seu período em função de questões judiciais. 
 
Ano decisivo
 
É um contexto importante para o Manda Brasa em pleno ano eleitoral, que será um divisor de águas para a política nacional e estadual. 
 
TJSC
 
Há um outro detalhe que tem relação com o MDB neste ano. O desembargador João Henrique Blasi, que assumirá a presidência do Tribunal de Justiça, foi deputado por três mandatos. Pelo MDB.  Blasi também foi secretário de Justiça e Cidadania de Pedro Ivo Campos e de Segurança Pública de Luiz Henrique da Silveira, ambos governadores que saíram de Joinville. 
 
Duas frentes
 
Pelos corredores do poder, existe o comentário de que o MDB vai pilotar a Alesc e o TJSC em 2022. 
 
Sucessão
 
Outro aspecto: como a vice-governadora, Daniela Reinehr, tem sido cortejada por vários partidos para disputar o pleito de 2022, provavelmente concorrendo à Câmara Federal, se Moisés da Silva tiver que se afastar do governo por qualquer motivo, quem assumirá o Executivo será Moacir Sopelsa. Ou o próprio Blasi. Nesta ordem. Ou seja, dois emedebistas. 
 
Em alta
 
Voltando a Mauro de Nadal. Deixa sua marca na Alesc. Um homem de palavra, que vai se destacando cada vez mais no cenário estadual. E que fez uma gestão exitosa. Abriu a Alesc e pautou sua atuação pela transparência. Durante 2021, não houve qualquer problema na Assembleia. 
 
Tem cacife
 
O atual presidente da Alesc vem sendo lembrado para compor de candidato a vice-governador de Moisés da Silva. Seu currículo e capacidade de trabalho o credenciam, mas Mauro de Nadal deve mesmo disputar a reeleição. Tem tudo para ser um dos recordistas de votos neste pleito. 
 
Dupla boa
 
Quanto a Moacir Sopelsa, é grande a expectativa sobre sua gestão. Ele já foi vereador, prefeito e vice de Concórdia. Tem tudo para repetir o sucesso do período de Mauro de Nadal. São dois emedebistas do Oeste, respeitados e sérios.
Link
Prisco Paraíso

Prisco Paraíso

Comentarista Político

Relacionadas »
Comentários »

Em quem você votaria para Governador de SC no segundo turno?

13.0%
87.0%
Anuncie no AJ
Atendimento
Quer divulgar sua empresa? fale conosco pelo Whatsapp