15/09/2021 às 10h05min - Atualizada em 15/09/2021 às 10h03min

Mais um ex-presidiário

Prisco Paraíso
Lembram do ex-presidiário Michel Temer, que foi presidente em mandato-tampão depois do impeachment da energúmena Dilma Rousseff, de quem foi vice nas duas eleições? Filiado ao MDB, ele liderou a banda emedebista no consórcio salteador que pilhou o país durante quase duas décadas, sob a liderança do PT de Zé Dirceu e Lula da Silva.

Temer, convém lembrar, era dado como morto e enterrado para o mundo político após o caso que redundou em denúncias gravíssimas de corrupção, que levaram à sua prisão em 2019.

Pois muito bem. Em processo de "superação" absoluta, o plantonista da vez no Planalto, Jair Bolsonaro, conseguiu a proeza de ressuscitar Michel Temer.

Já circula pelo universo do WhatsApp o primeiro vídeo daquilo que Temer promete uma série de "bate-papo" com ele. Sobre diversos temas, inclusive sobre o Brasil e a política! Na peça de estreia, Temer fala de suas conquistas enquanto presidente e enfatizando a necessidade de diálogo e atacando a polarização Lulo-bolsonarista do contexto atual.


De orelha a orelha
Sim, ele está de volta. E rindo à toa após o pedido de socorro de Bolsonaro. Temer, pra quem não lembra, foi quem indicou o xerifão Alexandre de Moraes para o STF. Xandão da esquerda, que já vem mostrando toda sua convicção jurídica ao rever algumas de suas próprias decisões despóticas, inclusive falou ao telefone com Bolsonaro sob a intermediação de Temer.

Escritor e roteirista
O emedebista também escreveu o bilhete da capitulação presidencial semana passada.

Lava Jato: In Memorian
Lula da Silva está solto e fazendo campanha eleitoral fora de época; Michel Temer está de volta, Renan Calheiros também já havia voltado ao palco (pelas mãos de Lula); Zé Dirceu está solto e articulando freneticamente, assim como outras figurinhas nefastas do calibre dos irmãos Lúcio e Geddel Vieira Lima, aqueles com os quais a PF encontrou módicos R$ 58 milhões em espécie! Viva o Brasil.

Lembrar é viver
A prisão de Michel Temer ocorreu em 21 de março de 2019, em cumprimento de mandado expedido pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, dentro da Operação Descontaminação, desmembramento da Operação Radioatividade, no âmbito da Operação Lava Jato, no estado.

Balaio de siri
Na mesma operação, também foi preso Moreira Franco, o ex-ministro de Minas e Energia no governo Temer. Em 8 de maio de 2019, a 1ª Turma do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) decidiu, por dois votos a um, pela revogação do habeas corpus do ex-presidente e com isso ele volta para a prisão. Depois, o STJ concede, por unanimidade, habeas-corpus

Modus Operandi
Segundo a acusação, Temer havia cometido delitos de corrupção ativa e lavagem de dinheiro, envolvido em contratos da Eletronuclear com a empresa Engevix.

Jetom
O secretário de Aquicultura e Pesca, Jorge Seif Júnior, é chamado de "filho adotivo" ou "06" por Jair Bolsonaro, tamanha a proximidade do auxiliar com o presidente. Filho de um empresário catarinense do ramo da pesca, ele tem presença cativa nas lives de Bolsonaro — ainda que faça apenas figuração na maioria das vezes. A afinidade de Seif com o chefe lhe rendeu um belo reforço no contracheque: graças à nomeação para conselhos de três estatais, o secretário conseguiu inflar o salário em quase 60%.
Link
Prisco Paraíso

Prisco Paraíso

Comentarista Político

Relacionadas »
Comentários »

Você é a favor da criação da região metropolitana de Joinville?

90.7%
6.8%
2.5%
Anuncie no AJ
Atendimento
Quer divulgar sua empresa? fale conosco pelo Whatsapp